Natasha Paola no POP IN BLUE (AltGirlsInk)

21 FEV 2017
21 de Fevereiro de 2017

O programa POP IN BLUE nesta segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017, entrevistou a Modelo Alternativa Natasha Paola e conversaram sobre a agência AltGirlsInk e das dificuldades que o alternativo sofre no dia a dia.

A idea da agência é resgatar mulheres julgadas pela sociedade por terem o estilo que têm e por serem de certa forma diferentes das demais, dando um basta na “Beleza Padrão” mostrando que não precisa ser apenas mais um corpo ou um rosto bonito para ter espaço no meio da moda!

Algumas das modelos da AltGirlsInk, falaram um pouco de tudo o que passaram e sua história na agência, confira:


Me encontrei como pessoa, como mulher, como guerreira. Sabe aquela coisa que falam que mulher tem que ser certinha, padrão boneca?  Nunca servir pra ser boneca.

Sou eu mesma, faço o que quero com meu corpo e minha vida.

Sempre fui meio doida desde criança, só faltava encontrar o meio certo.  

- Karol Jhessy


Entrei no mundo alternativo, pq foi a maneira que encontrei de expor todo o billying que sofri, mostrando que toda dor pode surgir uma arte. 

Descobri minha força e vou seguir assim,  contra quem for pq é meu estilo de vida

- Niccole Souza


O mundo alternativo pra mim foi como uma valvula de escape para transbordar toda a arte que vive em mim, é tão grande esse sentimento que tenho com a Body Modification que decidi modificar outras pessoas também rs, ser quem eu sou é meu maior prazer 

- Danny mota


Eu entrei no mundo alternativo por não me enquadrar em nenhuma turma. Fiz a minha então e descobrir vários iguais a mim, renegados. Somos os originais haha 

- Natasha Paola

Desde muito pequena, nunca me senti representada, me sentia diferente ,sempre fui da turma dos excluidos, por ser gay e afeminado sempre fui motivo de gozação, mas isso nunca me afetou, só mostrou o quanto eu era diferente, e eu tinha que fazer algo pra me destacar dessas outras pessoas, e quando pude finalmente com 18 anos fazer a minha primeira Tattoo sai do Studio com três tattoos, e na segunda seção já foram mais três, desde então me apaixonei e não consegui pensar em outra coisa em ser cada dia mais alternativa.

- Beka Milani

Escolhi o mundo alternativo..pq ser normal é chato pra caralho. zueira

o mundo alternativo nos possibilita enxergar de forma sem preconceito e lutarmos semprr por um mundo melhor. que as pessoas possam enxergar q todos somos iguais independente de raça..cor..tatuagem e é um mundo onde podemos mostrar q temos carater sendo coloridos e alternativos

Mari Koyama

Minha vida é muito loca pra mim, pensei que nunca fosse superar os obstáculos que me cercavam (e olha que ainda faltam muitos) passei por cima de todo mundo que duvidou de mim, venci o preconceito de gente da familia e de gente de fora. Trabalho num lugar onde as pessoas não tem nada a ver comigo mas que aprenderam a me respeitar. Pra mim isso é muito importante (e confesso que depois da Alt me senti mais forte) hoje em dia eu to muito mais foda se pra essa gente que enche o saco. O que quero e gosto de salientar em mim é que eu venci e fiz coisas queg achei que não seria capaz,mas sei que to só noh início da caminhada. E se me deixar falar eu só acabo amanhã Hahaha

 - Grazz Zankan

Sou Formada em turismo e direito, trabalho em um escritório onde não preciso esconder as minhas tatuagens. Já morei em vários lugares, até fora do Brasil  e assim adquiri muita experiência de vida. O meio jurídico realmente é muito preconceituoso mas eu nunca me importei com isso gosto de chamar atenção mesmo.

Sou de Porto Alegre  e tenho 39 anos 

Luana

Sou uma apaixonada pela Dança desde sempre...

Há uns 5 anos entrei para a Dança do Ventre, com uma Professora terapeuta que me fez entender e descobrir a dança em mim, acreditou e incentivou todas as minhas loucuras....estou com ela até hoje e entre muitas apresentações nunca fiz nenhuma de Dança do Ventre...rs...sempre fiz performances contemporâneas.

Cada vez mais apaixonada fui fazer Faculdade de Dança....me formei em Artes Cênicas - Dança.

Na Faculdade aprendi mais sobre a arte contemporânea e me entreguei a ela...A Dança envolve minha alma e eu danço através das emoções, dos sentidos...a consciência corporal vai além da Dança, reflete na minha vida, na minha personalidade.

Dentro da Dança do Ventre conheci o Véu-Leque e ele me envolveu com sua leveza, e eu ousadamente resolvi usa-lo em minhas performances...hoje tenho uma página artística voltada para ele, estou sempre flutuando por aí...Estou sempre em busca de novos movimentos em mim... Para agregar ainda mais agora sou modelo da Alt Girls Ink e não tem como não elogiar o carinho com que todas me tratam, todas são de uma união que encanta...

Me sinto uma pessoa privilegiada na vida, faço aquilo que amo, tenho uma família maravilhosa que me apoia, um filho incrível e um noivo de um carater sem igual, sou amada e extremamente feliz!

-Sheila Dalpicolo

Eu sofri um acidente no dia 31/12/11 onde um rapaz bêbado me atropelou. Ele estava na contramão e me arrastou alguns metros embaixo do carro com moto e tudo. Aí ele deu várias rés em cima pra tentar fugir. Nisso minha perna foi dilacerada e um dia depois tive que amputar pra baixo do joelho.Tive três embolias pulmonares e quase morri.

Ando de moto desde o útero dá minha mãe pois minha família sempre gostou.

Comecei me tatuar um mês antes do acidente e a primeira tattoo era no pé que perdi com um coração old School escrito "mae'

Sempre levei um estilo de vida alternativo 

- Camila Tamyia

Acredito que não escolhi, foi esse universo que me escolheu. Tatuagens já faz parte da cultura da minha familia, das tradições e das crenças das minhas origens. Sou Escocesa/brasileira, e na tradições celtas as tatuagens são coisas muito importantes. as tatuagens são usadas pelas sacerdotisas dos cultos druidicos. Identificava guerreiras e rainhas. E ao contrario das culturas latinas e orientais era algo que apresentava o status que uma pessoa tinha dentro da sociedade. Meu pai era tatuado, meu avo e minha avo e assim ate os meus ancestrais que lutaram contra os romanos e os expulsaram da Escocia. Historiadores romanos descrevem os Escoceses como um povo selvagem e com o corpo coberto de tatuagens. 

- Rose Anne

Sempre gostei muito do meio alternativo mas Nunca fiz nada do tipo por minha familia ser extremamente religiosa e tradicional.

Como td na minha vida minha inspiração fui e sempre será meu pai. Ele sempre disse que queria uma tattoo com meu nome mas faleceu precocemente e após sua morte fiz minha primeira tattoo que eh nosso sobrenome "SANTERO" nas costas. Tem sido uma jornada de auto conhecimento e aprendizado e desde o ano passado ate agora tenho me Empenhado em conquistar meu espaço fazer minhas tattoos, fotos, make e hair que amo.

- Sa Santero

Eu resolvi entrar pois sempre me identifiquei com o diferente,  sempre achei bonito o que as outras pessoas se contorciam para ver e tentar entender. Também sempre achei interessante que no meio alternativo não existe preconceito, você é o que é


- Dayanne Lopes

Em entrevista exclusiva com Natasha Paola, porta voz da AltGirlsInk, deixou claro os ideais da agência além de responder algumas curiosidades, dê uma olhada:


1- O que é a AltGirlsInk

Agência para modelos alternativas. Somente mulheres rs                       

2- De onde surgiu essa vontade de criar a AltGirlsInk?

Apesar de existir milhares de agências nenhuma tem o mesmo conceito e proposta que nós. O de aceitar e amar seus defeitos sem querer "maquiar" ou esconder. Com isso, resolvemos montar a nossa agência, afinal, porque não?                  

3- Qual o conceito de ALTGIRLSINK?

Conceito básico. União faz a força e não existem padrões impostos que não possam ser quebrados

4- Como funciona a agencia?

Toda possível modelo passa por uma analise, onde avaliamos o "querer", a compra da causa que propomos. E assim, independente da beleza, ela se torna ou não oficial.

5-  Por que apenas mulheres?

Apesar de sermos maioria no mundo ainda somos muito desunidas e passamos por coisas horríveis. Porque não tentar unir? Ainda mais mulheres alternativas que geralmente são ligadas ao erotismo

6- Qual a força que o projeto tem?

GRANDE rs. Temos 2 meses e olha onde estamos rs

7- Como isso ajuda as pessoas que fazem parte da AltGirlsInk?

As garotas se aceitam da forma que são, muitas começaram a se amar mesmo tendo seus defeitos e se redescobriram

8- Qual os objetivos e os planos para o futuro da Agencia?

Sermos maiores e mais fortes. Expor e quebrar tabus e dar mais força ainda para o mundo alternativo feminino.


Você, Alternativa que gostou da proposta que a AltGirlsInk tem para você e se identificou com algumas dessas histórias, podem estar entrando em contato nas redes sociais abaixo:



Redes sociais da entrevistada Natasha Paola
Voltar


Copyright © 2011 ONLINE PRODUÇÃO -   Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser copiado de forma diferente da referência individual comercial com todos os direitos autorais ou outras notas de propriedade retidas, e depois, não pode ser reproduzido ou de outra forma distribuído. Exceto quando expressamente proibido acima, você não deve de outra forma copiar, mostrar, baixar, distribuir, modificar, reproduzir, republicar ou retransmitir qualquer informação  contidos neste site ou qualquer parte deste em qualquer meio eletrônico ou em disco rígido, ou criar qualquer trabalho derivado com base nessas imagens, texto ou documentos, sem o consentimento expresso por escrito da ON LINE - Produção.